INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO DE FORÇA DOS MÚSCULOS ABDOMINAIS E PADRÕES VENTILATÓRIOS NAS CAPACIDADES PULMONARES EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS NA CIDADE DE SÃO LUÍS DE MONTES BELOS - GO

Amanda Borges, Eduardo Souza, Pedro Valente, Rafael Mendonça, Renata Cunha, Thayza Araujo, Fernanda Alves, Mariane Nogueira, Aleandro Alves, Eros Cláudio

Resumo


Diversos fatores demonstram que os indivíduos idosos apresentam alterações relevantes no sistema respiratório devido o envelhecimento natural. O processo de osteoartrose senil, bem como a fraqueza dos músculos abdominais interferem na ventilação normal devido a redução da expansibilidade torácica, alterando os volumes pulmonares ideais A amostra foi composta por 10 indivíduos de ambos os sexos, divididos em dois grupos com 5 indivíduos cada, sendo grupo 1: experimental e grupo 2: controle. Os participantes da amostra foram selecionados de forma randomizada. Ambos os grupos foram avaliados por meio da utilização do espirômetro e manovacuômetro. Os resultados obtidos através da espirometria foram positivos, significativamente superiores aos apresentados pela manovacuometria. Conclui-se que o treino de força dos músculos abdominais e padrões ventilatórios influenciaram significativamente nas capacidades pulmonares dos idosos institucionalizados inseridos no grupo controle.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEREDO, C. A. C. Fisioterapia respiratória moderna. São Paulo: Manole, 2002. 491 p.

BRITTO, R.R., VIEIRA, D.S.R., RODRIGUES, J.M., PRADO, L.F., PARREIRA, V.F. Comparação do padrão respiratório entre adultos e idosos saudáveis. Rev. bras. Fisioter., Vol. 9, 2005.

CLAUDIO, E. S., ARAUJO,R.F., NOGUEIRA,A.P.F., GUIMARÃES,N.N., FANTINATI,M.S. Influência da mobilização miofascial dos músculos psoas maior e menor sobre o volume pulmonar em indivíduos saudáveis. Trabalho de conclusão de

DUARTE, J., HELFSTEIN, T.T. Estudo comparativo das técnicas de cinésioterapia respiratória convencional e associado as diagonais de membros superiores na reexpansão torácica em indivíduos adultos jovens. Health Sci Inst. 2011; p4.especialização em Anatomia Humana. Centro de Estudos em Enfermagem e Nutrição da Pontifícia Universidade Católica-GO. Goiânia, 2014.

GUCCIONE, A.A. Fisioterapia Geriátrica.2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002. 463 p.

IRWIN,C., TECKLIN, S.J. Fisioterapia cardiopulmonar. São Paulo: Manole, 2003. 178p.

KENDALL,P.F., CCREARY,K.E., PROVANCE,G.P., RODGERS,M,M.,

ROMANI,A.W. Músculos provas e funçoes. 5 ed. Rio de Janeiro: Manole; 2007. 230 p.

LIMA, S.A., MENEZES,O.M.T. Investigando a produção do conhecimento sobre a pessoa idosa longeva. RevBrasEnferm, Brasília. jul/ago. 2011.

LIMA,T.P.A., RIBEIRO,A.I., COIMBRA,C.M.L., SANTOS,N.R.M., ANDRADE,N.E. Mecanoterapia e fortalecimento muscular: um embasamento seguro para um tratamento eficaz. Ver.saúde.com. Bhaia/2006

NASCIMENTO, C.V., TRINDADE, S.J., OLIVEIRA, M.E., SOUSA, C.E., ABRAHIN, C.S.O., Efeitos dos exercícios resistidos nos indicadores de normalidade de força dos músculos respiratórios de idosos. FIEP BULLETIN Volume 83 - SpecialEdition. 2013.

OLIVEIRA, M., SANTOS, S.L.C., OLIVEIRA, F.C., RIBAS, R.I.D., Efeitos da técnica expansiva e incentivador respiratório na força da musculatura respiratória em idosos institucionalizados. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 26, n. 1. Jan./mar. 2013.

PATROCÍNIO,A.D., JÚNIOR,J.V., RODRIGUES,A.F., VINHA,P.P., BAGATELLA.L. Espirometria no idoso: estudo retrospectivo de 438 casos. Ver. Ciênc. Méd., Campinas, maio/ago. 1999.

PERRACINI, M. R: FLÓ, C. M. Funcionalidade e Envelhecimento. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 557 p.

ROMANI,J.C.P., MIARA,N., CARRADORE,M.J.K. Avaliação clínica da função dos músculos respiratórios em adultos: revisão da literatura. Curitiba. Cadernos da Escola de Saúde. Jan/2011

RUIVO, S., VIANA,P., MARTINS,C., BAETA,C. Efeito do envelhecimento cronológico na função pulmonar. Comparação da função respiratória entre adultos e idosos saudáveis. RevPortPneumol. 2009.

SANTOS, J.L., SANTOS, I.C., HOFMANN, M.M., Força muscular respiratória em idosos submetidos a duas modalidades de treinamento. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano (RBCEH), Passo Fundo, v. 8, n. 1. jan./abr. 2011.

SANTOS, S.S. Pneumonia em idosos: revisão bibliográfica, 2009. 68p.

SOUZA,B.S. Pressões respiratórias estáticas máximas. J pneumol. out/2002

SCANLAN,L.C., WILKINS,L.R., STOLLER,K.J. Fundamentos da terapia respiratória de Egan. São Paulo: Manole, 2000. 323 p.

SIMOES,P.R., CASTELLO,V., AUDAD,A.M., DIONÍSIO,J., MAZZONETTO,M. Força muscular respiratória e sua relação com a idade em idosos de sessenta a noventa anos.

Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento humano (RBCEH), Passo Fundo, v. 7, n. 1.jan./abr. 2010.

TREVISAN,E.M., SOARES,C.J., RONDINEL,Z.T. Efeitos de duas técnicas de incentivo respiratório na mobilidade toracoabdominal após cirurgia abdominal alta. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v.17. out/dez.2010.

UNIARP.ficha de avaliação cardiorrespiratória Disponível em:


Apontamentos

  • Não há apontamentos.