A preservação do cerrado e penalidade das leis

Itamar Pereira de Oliveira, Edison Fernando Pompermayer

Resumo


O Cerrado tem sido considerado como um dos núcleos importantes para a conservação da biodiversidade mundial. Nas últimas quatro décadas, mais da metade dos seus dois milhões de quilômetros quadrados originais de áreas foram cultivados com pastagens e cultivos anuais em atividades agrícolas realizadas com monoculturas. A sua flora e fauna podem ser consideradas como algumas das mais ricas dentre as savanas localizadas no mundo inteiro. Acredita – se que nela vivem mais de sete mil espécies, com alto nível de endemismo, incluindo aves, peixes, répteis, anfíbios e insetos. Por outro lado a riqueza de mamíferos seja considerada relativamente pequena. Devido à falsa idéia da necessidade de abertura de novas áreas principalmente para a pecuária, as taxas de desmatamento no Cerrado, nessas última quatro décadas anos têm sido superiores às dos outros biomas como as observas no desmatamento da floresta Amazônica. Constam que apenas 2,2% da área do Cerrado encontram- se legalmente protegido. Como os demais biomas diversas espécies animais e vegetais estão ameaçadas de extinção e de acordo com vários pesquisadores quase 20% das espécies ameaçadas ou endêmicas não ocorrem nas áreas legalmente protegidas. Por ser uma área ocupada mais recente, tem – se que as principais ameaças à biodiversidade do Cerrado são a erosão dos solos, a degradação dos diversos tipos de vegetação presentes no bioma e a invasão biológica causada por gramíneas de origem africana. Embora haja tecnologia suficiente a frente da necessidade de uso, o fogo ainda é muito usado para a abertura de áreas virgens, sempre justificado o seu uso na estimulação do rebrotamento das pastagens. Embora historicamente o Cerrado seja um ecossistema adaptado ao fogo, o seu efeito na queima dos nutrientes em baixas concentrações disponíveis no solo arável do cerrado e a destruição dos microorganismos apresentam efeito negativo significativo para o sucesso da atividade agrícola regional. Alguns especialistas ainda atribuem o efeito negativo do fogo aos seus efeitos no secamento dos solos além de provocar mudanças na dinâmica e no estoque de carbono. Devido às áreas extensas de terra de relevo plano e poder contar com as chuvas anuais, associadas às condições de muita luz do clima tropical e às tecnologias modernas, a agricultura no Cerrado é lucrativa mesmo conhecendo que nem sempre é sustentável. A expansão da abertura de novas áreas com destruição das plantas, por motivos diversos e pouco comentados, deve continuar em ritmo acelerado. Atualmente várias entidades governamentais ou não tem tido influência positiva na exploração e no povoamento do cerrado. Contudo, quando se trata de tradição do comportamento humano em relação ao meio ambiente, as leis básicas ambientais devem ser claras, objetivas e colocadas em prática, e de acordo com o grito de alerta de profissionais e especialistas estas não tem influenciado no processo de preservação definitiva dos biomas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.