A efetividade da nova lei de alienação parental

Amanda Valeriano de Almeida Machado, Celany Queiroz de Andrade

Resumo


O presente artigo intenta discorrer acerca da Lei de Alienação Parental, que é resultado da disputa judicial em que os pais usam seus filhos para se vingar do outro genitor, um tema que chegou recentemente no Brasil, com base em estudos que começaram na Europa, através do psicanalista e psiquiatra infantil Richard Gardner. Devido à relevância do assunto, serão analisados desde a formação da família, a aplicação dessa síndrome na criança/adolescente e, sobre tudo,o dano causado ao fator físico e psicológico e das sanções que podem ser aplicadas pelo Poder Judiciário, que implementadas corretamente podem proteger e evitar que esse problema tão delicado e de difícil percepçãose multiplique.Em suma, dectará a carência de profissionais aptos a investigar e atestar a síndrome, como o judiciário se mostra impotente, diante dessas situações e que a Lei de Alienação Parental é aplicada, porém não eficácia. Logo, eis aí o contexto temático que permeia a delineamento científico através de pesquisas bibliográficas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.