CONTROLE DO TRIBOLIUM CASTANEUM EM ARROZ ARMAZENADO COM DIFERENTES EXTRATOS VEGETAIS

Erick Nunes da Silva, Antônio Florentino de Lima Junior, Gisley de Souza Brito, Marciana Cristina da Silva, Fernando Rezende da Costa, Itamar Pereira de Oliveira

Resumo


São utilizados diversos métodos de controle para insetos pragas de grãos armazenados, o principal método utilizado é o método químico como piretróide e fosfetos de alumínio. Mais esse método é químico, podendo acarretar diversos problemas futuros como: resistência das pragas aos inseticidas. Um problema enfrentado com extratos vegetais é referente à sua pouca área de estudos. O experimento foi realizado no laboratório de Pragas da Fazenda Escola da Faculdade Montes Belos na cidade de São Luís de Montes Belos-GO. Este trabalho tem como objetivo avaliar a mortalidade de Tribolium castaneum com extratos vegetais em grãos de arroz. Foram empregados 13 tipos de extratos vegetais: Alho (Allium sativum L.), Citronela (Cymbopogon winterianus), Crisântemo (Chisantemum cinerariaefolium), Erva de santa maria (Chenopodium ambrosioides L.), Eucalipto (Eucaliptus citriodora Hooker), Fumo (Nicotianatabacum L.), Gergelim (Sesamum indicum), Mamona (Ricinus communis L.), Mostarda (Brassica juncea), Nim indiano (Azaradicta indica, A. Juss.), Pimenta cumari (Capsicum sp. L.), Pimenta do reino (Piper nigrum L.), Sabão de soldado (Sapindus saponária L.). As parcelas constituíram de gaiolas com 10 indivíduos adultos de T. castaneum sem contato direto com o extrato. O delineamento estatístico foi inteiramente casualizado com 4 repetições. O extrato mortalidade foi Chisantemum cinerariaefolium., seguido por Azaradicta indica (A. Juss.) e (Ricinus communis L.), os demais não apresentaram nível de mortalidade significativos nas condições analisadas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.